Querido, eu sei que a vida dificilmente é como queremos. E que basta um momento para a gente se achar, para em seguida se perder novamente.
Eu sei, querido, que as feridas têm seu próprio tempo para cicatrizar. E que, por mais que não exista uma intenção, nós podemos queimar feito ferro em brasa dentro da mágoa de uma pessoa.
Eu sei, querido, que o espetáculo dos transeuntes não mais te comove. Que a tua mente se embaralha entre tantas questões, tantos porquês, tanta incerteza. Eu sei que duvidas de cada nascer do sol e que o crepúsculo não mais te emociona. Que aquela noite coalhada de estrelas que antes te trazia pro mundo, agora te afasta dele. É, eu sei, querido.
Eu sei, querido, que a vida não tem ensaio. E cada dia pode ser a última oportunidade de descortinar uma bela cena, a mais esperada cena. Sei que a cada dia são-nos dadas novas tintas para pintar a mesma tela e que, por vezes, tudo o que queremos, é assinar logo a obra, e partir pro próximo quadro. Mas, é justamente isso que caracteriza a nossa imperfeição. É, eu sei que esquecemos disso, querido.
Eu sei, querido, que a vida sempre avança e os dias vão continuar passando sem nenhuma novidade. Sei que seremos indiferentes a toda essa multidão que nem imagina o que nos rouba o brilho do olho, o que nos tira a paz da alma. É, eu sei, querido. Eles têm a própria opacidade no olhar, o próprio baço do espírito. Eles não têm tempo para a nossa dor.
Eu sei, querido, que as dores que em alguns ardem por séculos, em outros passam em poucas horas, e muitas vezes é isso que separa o agredido do agressor. Sei que o mundo já está com seus relógios cansados, mas continua e continuará com pressa. E eu sei também que esse papo de hora certa é o consolo de alguém otimista para não encarar a real. A hora certa é só agora, nesse instante. O resto é fé.

Eu sei que ninguém vai ligar para esse texto. Que quem ler vai concordar com algumas partes, achar evidências; outras nem tanto, acharão apenas mais um motivo de assassinar os seus minutos na internet. Mas, querido, eu sei que em seguida a maioria vai voltar às suas vidas cotidianas e nenhuma dessas palavras terá feito nenhuma diferença. Mas, às vezes tem uma frase, uma sentença ou uma memória que cala fundo na gente. Às vezes tem uma fala, uma certeza ou uma dúvida que consegue ser tocada ou despertada, e é disso que eu falo, querido. É por isso que escrevi esse texto, querido. E é isso apenas que eu sei, querido.
Eu sei, querido...