Eu devia estar contente
Porque eu tenho uma bolsa Capes
Sou um dita cidadã respeitável
E ganho alguns mil reais
Por mês.

Eu devia agradecer ao Senhor
Por ter facilidade,
Ser inteligente, artista
Eu devia estar feliz
Porque consegui comprar
Um Ford Ka 2006.

Eu devia estar alegre
E satisfeita
Por morar em Florianópolis
Depois de ter passado trabalho
Alguns meses
Aqui nessa cidade tão famosa...

Ah!
Eu devia estar sorrindo
Orgulhosa, futura doutora
Finalmente vai vencer na vida
Mas eu acho isso uma grande piada
E um tanto quanto tendenciosa...

Eu devia estar contente
Por ter conseguido
Tudo o que eu quis
Mas confesso abobada
Que eu estou decepcionada...

Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto "E daí?"
Eu tenho uma porção
De coisas grandes pra conquistar
E eu nunca poderei ficar simplesmente “parada”...

Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o fim de semana
Pra deboar nas praias
Ou ir ao lago da UFSC
Fotografar os patos...

Ah!
Mas que pessoa chata sou eu
Que não acha nada engraçado
Pato, praia, carro
título, status
Eu acho tudo isso um saco.

É você olhar no espelho
Se sentir
Uma grandessíssima farsa
Saber que o humano
É ridículo, asqueroso, limitado
E mesmo fazendo doutorado
Só usa dez por cento
De sua cabeça animal...

E você ainda acredita
Que é um doutor [sic!]
Professor, detentor da pedra filosofal
E que está contribuindo
Com sua parte
Para o nosso belo [sic!]
Quadro político e social...

E o pior é que, sim, me sento
No trono de uma Kitnet
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar...

Porque longe dos protestos
Embandeirados
Contidos com gás de efeito moral,
Spray de pimenta, cassetetes
Por um país digesto
Mas sem resultados
O meu olho vê
Que paira a sombra sonora
Que nos aguarda uma era de terror...


*Versão baseada na música "Ouro de tolo", de Raul Seixa.