Acho que nossos maiores traumas, dores e humilhações nunca saem verdadeiramente da gente, apenas aprendemos a seguir com isso. Sem deixar que incomode tanto. Mas, no fundo, mesmo com novas cores, estações e amores, aquelas bandagens sempre estarão sujas de sangue. (As minhas, estão).