Já acordou uma manhã e, subitamente, percebeu que tem vivido uma sub-vida...? Falsos amores, falsos amigos, falsos momentos de diversões e de realidades? Que vem iludindo a si mesmo? Que está imerso em um non-sense, preso em um monte de mentiras coloridas que se tem contado; que já se esconde e não vive...? 
Mentiras cheias como bexigas, que se explodem à mais leve falta de jeito.